Posts Marcados Juliana Didiano

Como melhorar a vida do seu gatinho (Parte I)

Snub

Snub, o gatinho da Tatti

 

Por Juliana Didiano

Hoje falaremos um pouco sobre o mundo felino, daremos algumas dicas de como melhorar vida ao lado desta espécie que a cada dia conquista mais nossa vida e milhares de casa ao redor do mundo.

O gato foi domesticado há cerca de 4000 anos (comparado ao cão que tem 100.000), isso explica muito dos comportamentos que ainda apresenta como ser solitário, necessidade de caçar, características fisiológicas, assim como hábitos alimentares.

No Egito, no início da sua domesticação, o felino era utilizado para proteger as colheitas dos humanos de ratos que por perto andavam. Quando um gato falecia, havia um ritual fúnebre semelhante ao dos humanos.

Já na idade média, os felinos começaram a ser vistos como maus espíritos, e eram queimados junto às pessoas acusadas de bruxaria.  No fim da idade média, os gatos voltaram a ser aceitos pela sociedade, sendo vistos como animais de luxo, vistos como “ acessórios” de damas em eventos sociais. Nesta época começam a surgir, através de melhoramento genético, as primeiras raças puras.

Com a domesticação dos felinos, observamos grande mudança dos seus hábitos comparado aos seus ancestrais: reduzimos seu espaço para caça/lazer/fuga, mudamos sua dieta, mudamos seus hábitos.

Com isso, mesmo que sem querer, acabamos desenvolvendo algumas doenças/patologias nos nossos queridos gatinhos. Hoje daremos algumas dicas de como evitar que seu gato adoeça.

Ambiente

O ambiente que seu animal vive deve ter um enriquecimento ambiental: é importante ter um esconderijo para descanso, lugares no alto para que ele possa observar o ambiente do alto (eles adoram isso, e faz semelhança a estar em cima de uma árvore se estivesse na natureza).

Casinhas para gatos

Por outro lado, felinos não toleram mudanças bruscas no ambiente em que convivem, e isso costuma ser muito ruim principalmente para os gatos gordinhos, que aumentam os níveis de cortisol sanguíneo, param de comer e desenvolvem uma doença bastante grave no fígado.

Precisamos sempre achar um meio termo para fazê-los felizes e aos poucos, se necessário, fazer mudanças em casa e na rotina do proprietário. Isso também serve para aquisição de novos membros felinos ou caninos na família.

Alimentação

Recomendamos que deste filhote seu animal seja acostumado a comer dieta seca e úmida, uma vez que através desta última iremos otimizar os níveis de ingestão de água, o que será de grande valia ao longo dos anos deste animal.  Para gatos acima do peso, é muito importante trabalharmos a saciedade do mesmo, para isso recomendamos colocar o alimento seco dentro de brinquedos específicos, em que conforme o gatinho brinque, a ração caia no chão e ele se alimente. Nesta dica iremos trabalhar o controle saciedade/apetite, gasto de energia/perda de peso.

Outra dica bastante importante: felinos adoram beber água em movimento. Como nos dias de hoje água é um bem de grande valor, e que não podemos desperdiçar deixando as torneiras de casa aberta, podemos fazer uso das fontes de água. Já existem vários modelos nos pets, para todo gosto e bolso.  Importante sempre manter a água fresca e limpa, trocando diariamente.

No próximo post daremos dicas de manejo com liteiras, problemas com arranhaduras outras coisinhas mais.

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Transformando vidas

Por meio desse lindo relato, minha parceira de profissão Ju Didiano, foi premiada com uma viagem para Cartagena – Colômbia, onde acontecerá o 41° WSAVA, Congresso de Medicina Veterinária.
Ju, muito orgulho e admiração por você.  Histórias como essas são os verdadeiros presentes da vida e ser sorteada foi um reconhecimento da sua dedicação e amor. Parabéns, Ju ❤

Ju_Jully

“No dia 20/03/13 por volta das 19:30, já havia encerrado o atendimento da clínica quando nossa recepcionista me chamou dizendo que havia chegado uma emergência: uma cachorrinha atropelada.
Imediatamente pedi para o proprietário entrar na sala de atendimento para que eu pudesse examiná-la.
Ao começar o atendimento emergencial pude ver uma grande e dolorosa fratura exposta em membro anterior esquerdo. Podia sentir sua dor naquele momento. Imediatamente apliquei medicações para controle da dor.
Após medicá-la conversei com o proprietário que teríamos que submetê-la a uma anestesia geral para redução da fratura, assepsia da ferida e imobilização do membro.
Fiquei com a pequena Jully em nosso centro cirúrgico por longas 2 horas, reconstruindo cada pedacinho de seu membro. A lesão foi extensa, com ruptura de músculos, tendões e fratura completa de rádio e ulna.

 

Após finalização do procedimento, a pequena Jully foi liberada, com a fratura estabilizada, medicada e com as devidas medicações prescritas e doadas por nós, pois o proprietário apresentava restrições financeiras.
Foi solicitado que o proprietário fizesse uma radiografia do membro no dia seguinte, e retornasse em nossa clínica pra reavaliação.
Para nossa surpresa, o proprietário não voltou no dia seguinte, voltou somente 2 dias depois, com a radiografia e com a Jully com o seu membro extremamente edemaciado. O proprietário chegou em nossa clínica reclamando da cachorra, que tinha que trabalhar, que não tinha tempo para cuidar e administrar os medicamentos prescritos à Jully. Fiquei muito triste, decepcionada e brava por todo discurso do proprietário.
Deixei o proprietário desabafar tudo que precisava, fiz as medicações que a Jully precisava receber, examinei cautelosamente as radiografias, e inesperadamente, fiz uma proposta ao proprietário: que doasse a Jully para mim, eu iria cuidar da pequena, e assim que estivesse recuperada, iria encontrar uma nova família para ela. Ele nem titubeou, respondeu prontamente que aceitava, e que mais tarde nos traria as medicações que ela estava tomando. Fiquei triste por uma lado: ela havia sido abandonada pelo seu dono, mas feliz por outro: teria perspectiva de encontrar uma família digna de sua companhia e carinho.
A Jully ficou em nossa clínica por cerca de 2 meses, recebendo todo tratamento, curativos e cuidados necessários para sua recuperação. Durante este período muitos clientes a viam circulando pela clínica, mas uma pessoa em especial, a querida cliente Jussara, proprietária de nosso paciente Kiko, já estava cultivando esta pequena semente de futura dona. Um dia me perguntou se a Jully seria doada, que ela estaria interessada em adotá-la, para fazer companhia à sua mãe, uma senhora idosa que morava sozinha. Achei perfeito esta possibilidade de adoção!!!
Nos comprometemos a doá-la castrada e vacinada. E assim, após consolidação da fratura, castração e vacinação a pequena Jully encontrou sua nova família. Foi emocionante saber que existem muitas pessoas dispostas a doar seu carinho e amor a um animal abandonado.
Anualmente a Jully nos visita para as vacinas, e em todas as vezes, ela sempre vem correndo para nossa sala, quando nos vê pula, pula, pula muito, como se fizesse 10 anos que não nos víssemos.
Assim termina nossa história de transformação de vida: uma cachorrinha atropelada e abandonada, mas com nossa ajuda, conseguiu ficar com o membro completamente recuperado, sem sequelas, e com uma família nova.”

, , , , , , , ,

1 comentário