“E quando existe algo pior do que morrer….”

Milk em junho de 2011, num dia feliz!

Milk, a cachorrinha tão querida do meu tio já não sofre mais. Bichon Frisé, 14 anos, boazinha, educada, carinhosa, gorda e comilona, saia correndo pela casa latindo para brincar e chamar atenção. Quando percebia que não era apenas carinho que eu tinha para dar, mas uma vacina ou coisa e tal, corria para debaixo do armário como se ficasse invisível aos meus olhos. E então eu a encontrava, colocava na mesa, apertava sua barriguinha, auscultava seu coração, ora fazia uma injeção, ora coletava sangue do seu pescocinho. Nenhuma reclamação, nenhum latido, nenhuma tentativa de morder, ela deixava bem quietinha. Depois a Milk se escondia e eu ia embora, e nas próximas visitas ela me recebia sempre com a mesma alegria e nem lembrava que minha presença nem era sempre tão “legal”.

Desde segunda-feira era outra Milk, aquela que conhecia já não existia mais. Encontrei uma Milk magrinha e sem apetite, olhar distante que já nem me enxergava . Seus rins não funcionavam mais, a cabeça sempre baixa, seu andar preguiçoso e quase sofrido, o “xixi” custava a sair… e se abaixar para urinar era muito difícil, ela não tinha força. A boca não comia mais, armazenava apenas feridas, dor e mau cheiro. Era o início de uma dor sem fim. Foram 3 dias de sofrimento, dela, da família e meu. A morte já não era a única preocupação, porque viver para ela era sofrer.  Tentei o possível, esperava pelo impossível. Aquela cachorrinha tão querida e alegre não existia mais.

Quarta-feira dia de finados, meu tio a trouxe no carro para eu levá-la na clínica comigo. Meu tio, na maioria das vezes sério e seguro, mal conseguiu se despedir de mim porque uma ameaça de choro estava para vir. Talvez ele sabia que ela não iria mais voltar, talvez soubesse que ela nem estava mais lá. Fomos eu e ela no carro, tão diferente de todas as outras vezes que a Milk foi “trabalhar comigo”. Ela adorava, ia agitada e ofegante, recepcionava meus pacientes gatos e cachorros. Ficava tão contente entre amigos e nunca “reclamava” de ninguém. Também já me fez companhia em um plantão noturno, ficou “internada” comigo na maior alegria. Como ela gostava de fazer amizade. E dessa vez não foi assim, meu caminho para o trabalho foi triste e solitário… ela não estava lá. O dia foi difícil, vê-la sofrer foi difícil, cuidar dela foi difícil, limpar a boquinha e as feridas da língua doeu em mim também. Olhar para ela foi difícil e decidir foi muito dolorido.

Ela ficou quietinha, prostrada, dormindo por conta das medicações. Após mais um resultado de exame chegava a hora de definir o “melhor” caminho para a Milk. Ela estava comigo na sala, ainda no soro e deitada em sua caminha. Em determinado momento começou a chorar, gemia baixinho e não parou mais. E era essa a hora para decidir, foi o momento que liguei para o meu tio e o escutei chorar como uma criança. Aquela linda cachorrinha branquinha despertou algo do meu tio que nunca vi antes, porque os animais de estimação são assim, deixam aflorar nossos melhores sentimentos… alguns que guardamos muitas vezes só para eles. E o que a Milk queria de mim? Estava decidido, por mim e pelo meu tio que “aquela” era a melhor decisão. Ela não podia mais sofrer, não era justo, ela não merecia!

Sou veterinária, sou proprietária e além de tudo gostava dela como se fosse minha. Desliguei o telefone e estava sozinha, meu tio novamente não conseguiu se despedir. Estava eu, a decisão e parte da Milk. Juro que perguntei a ela: “o que você quer de mim?”; “o que eu faço agora?”. Ela gemia, estava com dor, devia estar cansada de tanta dor. E então eu rezei, a coloquei em minha mesa com a caminha e foi feita a primeira medicação. O choro foi cessando e na segunda medicação ela dormiu, já não sofria mais e de certa forma fiquei um pouco mais calma. Com a terceira medicação seu coração já não batia e com o estetoscópio fui acompanhado os últimos batimentos de uma vida cheia de alegria.

Hoje ela não sofre mais, e pela minha crença a Milk existe em algum “outro lugar” muito mais feliz. Eu ainda sofro das lembranças e por ter compartilhado todo o sofrimento dos últimos dias. E foi a “boa morte”, a última coisa que pude proporcionar a ela.

Anúncios

, , , , , ,

  1. #1 por Cristina Yukie Yamaguti Colombari em novembro 7, 2011 - 11:59 am

    Tati, me emocionei com o texto! Foram dias realmente angustiantes e mesmo estando longe pude acompanhar o sofrimento de todos e sofri junto! Admiro a sua coragem e competência. Beijos com carinho!
    Yu
    Saudades da Milk!

  2. #2 por tattitie em novembro 7, 2011 - 12:15 pm

    Oi, Yu! Fico contente que tenha gostado. A Milk era uma cachorrinha muito especial e também já sinto saudades…
    Muitos beijos e obrigada,
    Tatti

  3. #3 por Gabi S. em novembro 7, 2011 - 1:09 pm

    Chorei…
    E relembrei a Julie, que me faz tantaaaa falta!

    • #4 por tattitie em novembro 7, 2011 - 2:35 pm

      Gabi, eles deixam sempre uma saudade sem fim….

  4. #5 por Karla Chachet em novembro 7, 2011 - 2:09 pm

    Tatti, me acabei e fiquei muito triste em saber a história da Milk. O pouco que a conheci sempre a via alegre e serelepe.
    É injusto o tempo de vida de um cãozinho, pois é muito curto. Eles se tornam membros da família como filhos e deveriam demorar para irem embora de nossas vidas.
    Sei que a Milk sempre esteve em boas mãos, pois tenho experiência com os cuidados que sempre teve com minhas bebês e tem até hoje com a única bebê que tenho.
    Você é especial e iluminada.
    Tenho certeza que ela está em um lugar lindo e ótimo junto com a minha Vida.
    Beijokas

    • #6 por tattitie em novembro 7, 2011 - 2:35 pm

      Ká, agradeço imensamente a confiança que sempre teve! Concordo que o tempo de vida deles é muito curto para tanto amor.
      Para mim sempre foi e continua sendo um prazer cuidar das suas “pequenas”. E para que elas tenham saúde e sejam bem cuidadas não depende só da gente, mas de uma proprietária tão zelosa e carinhosa como você! Mil beijos.

  5. #7 por jaimesaldanhajr em novembro 7, 2011 - 3:42 pm

    Eu sei quanto vc odeia fazer eutanásia e imagino o quanto foi difícil neste caso. Vc sabe mais do que ninguem que não havia outra saída e a Milk te agradece por isso.
    Tenho muito orgulho de vc Tati !!!
    Que você continue sendo esta bobona emotiva com todos estes bichinhos que vc tanto ama… Não é à toa que eles te adoram, assim como tem o respeito e consideração de seus respectivos proprietários.
    Bjs, Jaime

    • #8 por tattitie em novembro 8, 2011 - 12:25 am

      Menino, você sabe bem dos meus sentimentos… afinal de contas, muitas vezes compartilho com você. Acredito que ela esteja em “algum lugar” muito melhor, mas sinto saudades…
      Fique tranquilo que continuarei a mesma “bobona emotiva”… é de família!
      Muitos beijos, Tatti

  6. #9 por Gabi Arbex em novembro 7, 2011 - 10:04 pm

    Tati,
    fiquei triste com o que vc relatou, mas, em contrapartida, não podemos ser egoístas a ponto de ter um bichinho sofrendo ao nosso lado apenas porque não queremos que ele se vá. Sempre achei isso – para humanos e para animais. Tenho certeza de que vc tomou a decisão certa.
    Beijos
    Gabi Arbex

    • #10 por tattitie em novembro 8, 2011 - 12:22 am

      Oi, Gabi! Por mais difícil que seja, acredito que a “eutanásia” também seja um ato de amor, sempre em benefício do animal e nunca por conveniência do dono.
      Entretanto, nem a certeza de uma decisão faz com que seja mais fácil… é sempre muito dolorido.
      Muitos beijos,
      Tatti

  7. #11 por Anna França em novembro 7, 2011 - 10:17 pm

    Tati, adorei seu texto porque me tocou especialmente neste momento que vivo uma questão crítica. Até gostaria de fazer uma consulta contigo. Como posso fazer isso?????

    • #12 por tattitie em novembro 8, 2011 - 12:18 am

      Oi, Anna! Sei que esse primeiro post foi triste, mas foi uma maneira de desabafar e dividir essa história com pessoas que gostam de animais e podem infelizmente passar por situações parecidas. Quem ama liberta, e quando o sofrimento ultrapassa alguns limites temos que ter coragem (e amor) para decidir. Fico muito contente que tenha gostado.
      Trabalho no Cobasi da Radial Leste, estou a disposição para te ajudar no que for possível! Se precisar de algo meu email é: tatianehato@hotmail.com

  8. #13 por Cesar Calejon em novembro 7, 2011 - 11:45 pm

    Tati,

    Você é uma dessas pessoas raras, muito mesmo. Seu amor e carinho pelos animais reflete a natureza e as cores da sua alma.

    bjos!

    • #14 por tattitie em novembro 8, 2011 - 12:10 am

      Uau… que assim seja!!! Também te considero uma pessoa rara, um dos poucos que ainda escutam realmente e se interessam pelo próximo. Sorte dos seus amigos por ter você por perto!

  9. #15 por Débora em novembro 8, 2011 - 1:05 pm

    Tatti, imagina ??
    Chorei !!!
    muito lindo seu amor pelos nossos pacientes !! Parabéns
    Está cada vez mais dificil encontrar veterinários que amam os animais do mesmo jeito que amavam quando decidiram prestar o vestibular, muitas vezes o amor pela profissão se perde dia a dia com a rotina, mas vejo em vc, mesmo sem te conhecer na época do vestibular, que esse amor prevalece !! Parabens ! bjos

    • #16 por tattitie em novembro 8, 2011 - 2:58 pm

      Dé, a recíproca é verdadeira. Sempre disse o quanto te admiro, você é dedicada, amorosa e corajosa! Vai conseguir tudo o que desejar.
      Muitos beijos e obrigada,
      Tatti

  10. #17 por Samira em novembro 8, 2011 - 2:48 pm

    Ai Tatti

    Fiquei tão triste, já passei por isso, mas tb não quero que nossos pequenos mesmos aqueles grandes sofram.Foi o melhor

    • #18 por tattitie em novembro 8, 2011 - 2:55 pm

      Isso mesmo, Samira… eles não merecem. Beijos para vcs, em especial para o “Kenzo”!

  11. #19 por Roberta em novembro 10, 2011 - 4:09 pm

    OI Gatinha!
    Parabéns pelo blog, mas lógico, morri de chorar com a Milk, passamos em casa uma situação bem parecida com a La Toya, vc lembra. Mas ainda bem que existem profissionais tão dedicados e com tanto amor como vc!
    Beijo!

    • #20 por tattitie em novembro 11, 2011 - 11:38 am

      Obrigada, gatinha!!
      Sei sim o que passaram…. não foi nada fácil.
      Muitos e muitos beijos,
      Tatti

  12. #21 por Lilian Gil Robles Lopes em novembro 10, 2011 - 4:13 pm

    Tati
    Você sabe o quanto eu sou grata a você.Amo bichinhos, como tenho certeza que você os ama mais ainda do que eu,porque você , profissional tão competente como é, consegue separar o amor
    profissional do amor fraternal.
    Sou muito suspeita para opinar sobre você e seu Blog,amo você de paixão,eu a tenho como uma filha.
    Ví o quanto você sofreu junto comigo na morte do meu amado Tobinho.
    Te desejo muito sucesso, tanto na vida profissional quanto na sua vida particular.
    Muitos beijos
    Lilian

    • #22 por tattitie em novembro 11, 2011 - 11:37 am

      Lilian, você é realmente suspeita porque é nossa querida!!
      Meu carinho por você é especial e eterno.
      Muitos beijos,
      Tatti

  13. #23 por Alessandra em novembro 10, 2011 - 4:16 pm

    Oi Tati, lindo seu blog! Nossa até chorei com essa história…..imagino como deve ter sido dificil….continue sendo essa pessoa maravilhosa e veterinária que admiro tanto!!!!
    Um grande beijo e saudades…Alê

    • #24 por tattitie em novembro 11, 2011 - 11:33 am

      Alê, querida! Também estou com bastante saudades e espero que você esteja bem!
      Termine logo a faculdade para vir trabalhar com a gente!! Beijos

  14. #25 por Marcio gregnanin em novembro 10, 2011 - 6:19 pm

    Oi minuscula, como vai, maneiro esse teu blog!! achei o maximo, parabéns…Muito bonita a história da milk, deu varios nós na garganta e uma bolha no coração, até os meus dedos para escrever esse comentário queria dar uma choradinha..heheheh, ainda mais para quem tem vários companheiros, como é o nosso caso!!! Mais uma vez parabéns e muito sucesso para você. beijos.
    seu primo que te ama…Marcio

    • #26 por tattitie em novembro 11, 2011 - 11:32 am

      Oi, Nico! Que bom que você gostou do blog, fiquei feliz!!!
      Sobre a Milk, foi muito triste mesmo…
      Também te amo muito e sempre!
      Tatti

  15. #27 por Magali em novembro 11, 2011 - 11:00 am

    Oi Tatti, acabei de ver seu email e ler essa historia tão triste,impossivel não se emocionar. Sei muito bem o tamanho dessa dor, junta a perda com a coragem de tomar uma atitude rapida, tudo se mistura e o final é muito triste sempre.
    Tomara que vc escreva muitos relatos felizes!É o que espero.
    Parabéns por esse espaço Pet.
    Bjs
    Magali
    Epoca Pet Center

    • #28 por tattitie em novembro 11, 2011 - 11:30 am

      Oi, Magali! O próximo relato vai ser feliz, e a “história” você conheceu!!
      Obrigada por tudo!
      Beijos,
      Tatti

  16. #29 por Helena em novembro 17, 2011 - 12:45 pm

    Oi pequenina e grande Tatti, me emocionei muito com seu relato, não conhecia a sua história com a Milk e não teve como segurar as lágrimas. Olhando agora pra minha pequena, logo penso que “eles” deveriam ser eternos e isentos de qualquer sofrimento. É injusto um tempo de vida tão curto. Por que essa missão tão nobre de transformar as nossas vidas, de nos ensinar um amor incondicional e depois ir embora? Meu pensamento não é egoísta, só queria um pouco mais de tempo para continuar retribuindo o que recebo da minha Lyssa.

    • #30 por tattitie em novembro 17, 2011 - 3:52 pm

      Helena, seria esse o meu desejo. Mas temos que aceitar as coisas como são, pelo menos as que não temos o poder de mudar. E tenha certeza que você retribui esse carinho todos os dias. A Lyssa tem muita sorte por tê-la como melhor amiga!
      Beijos

  17. #31 por quezia sarrecchia em novembro 26, 2011 - 1:25 am

    Tatti…que triste…..
    Ontem chorei tanto pela minha Hannah e me lembrei muito de vc….da sua força e do seu amor…
    Queria muito que o final fosse diferente…mas Deus sabe de todas a coisas…Hoje tenho minha Luninha linda e esperta…..
    Realmente perder alguem que se ama é muito dificil….
    E quem acha que isso é tonteira ou exagero…infelizmente não conhece o amor verdadeiro…
    Bjusss e amei seu blog

    • #32 por tattitie em novembro 26, 2011 - 7:07 pm

      Oi, Quézia! Primeiramente agradeço pelo reconhecimento e confiança.
      A Hanna, infelizmente, foi um dos casos mais tristes para mim… senti muito por vocês.
      Você é muito especial e merece viver esse amor, que bom que a Luna te trouxe isso de volta!
      Beijos
      Tatti

  18. #33 por Eliana em novembro 30, 2011 - 7:45 pm

    É impossível não chorar, e nesse caso, a gente nunca consegue chorar pouco, sempre é uma enxurrada de lágrimas que escapam sem a gente conseguir controlar, e isso é sempre por causa de alguma lembrança. Por mais que agente se prepare, nunca parecerá ter sido suficiente o tempo para as despedidas. Meu Donald se foi em julho, e até hoje tenho a impressão de que ele foi só até ali tomar um banho, e que a qualquer momento vai voltar. Até hoje não me perdoo por não ter conseguido chegar a tempo para vê-lo partir, e agora, o único jeito de suportar é esperar pelo dia do grande reencontro em algum lugar do universo, para pedir perdão a ele e dizer que eu não o abandonei na clínica, mas que o deixei lá tendo certeza de que voltaria para casa. Mas, infelizmente não foi verdade e não deu tempo de ver aqueles olhos tão amados se fecharem para sempre para a vida. Vida tão intensa e feliz que ele teve. Imagino o que vc Tattiane deve ter sentido. Seja qual for a forma da partida, não existe uma fórmula para que seja menos dolorosa. O nosso amor por eles é especial, e o deles por nós uma bênção de Deus.
    Beijos e adorei seu blog.

    • #34 por tattitie em dezembro 1, 2011 - 6:11 pm

      Oi, Eliana! Não nos conhecemos pessoalmente mas sei do seu amor pelo Donald.
      É sempre muito doloroso perder as pessoas que amamos, e nossos animais são membros da nossa família.
      Sinta-se uma pessoa de sorte por ter compartilhado desse amor com o Donald. Estou certa que ele é muito grato a você!
      Fico muito feliz que tenha gostado do blog. Criei esse espaço para falar sobre eles, nossos melhores e eternos amigos.
      Beijos com carinho,
      Tatti

  19. #35 por Camila Romeiro em dezembro 1, 2011 - 1:44 am

    Dra. Tattiane, olha, só digo uma coisa: muito lindo o seu blog. Esse post então… nossa. Preciso mesmo dizer que chorei? Hahahahaha. Chorei mesmo. Vai ver porque lembrei do meu Simba. Enfim, adorei o blog. 😀

    • #36 por tattitie em dezembro 1, 2011 - 6:11 pm

      Camila, que bom que gostou!!
      O Simba era muito querido.
      Abraços a todos,
      Tatti

  20. #37 por MAria em dezembro 3, 2011 - 10:35 pm

    Olá Dra Tattiane,
    Não consegui ler a história até o fim, chorei muito, lembrei do meu Billy que se foi há um ano atrás de insuficiência renal. Sei como dói, como é triste e para falar a verdade eu choro quase todos os dias de saudades. Imagino como foi perder a Milk.

    Parabéns pelo Blog.

    Maria

    • #38 por tattitie em dezembro 6, 2011 - 6:02 pm

      Oi, Maria! Imagino a sua dor, sei no quanto ele era querido para toda a sua família.
      Fico contente que tenha gostado do blog.
      Se quiser mande uma foto dele para eu postar aqui!
      Beijos,
      Tatti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: